O Papel do Pai nos Primeiros Meses Pós Nascimento | É Tudo Responsabilidade da Mãe?

em 19 janeiro 2022


Muito se fala sobre a maternidade e suas responsabilidades. A mãe gera durante 9 meses o bebê em sua barriga, passa por mudanças em seu corpo que muitas vezes são dolorosas tanto para o físico quanto para o mental. Sua autoestima é afetada, assim como seus hormônios, seu corpo e seu emocional também é afetado. Além desse período que dura quase um ano, a mulher ainda tem que passar pelo parto, que além de invasivo pode ser muito doloroso. Achou que terminou ai? Não vou nem falar do puerpério que para algumas mulheres pode ser a fase mais difícil, tanto que algumas sofrem da chamada depressão pós parto e não é atoa. 

O fato é que da gestação ao pós-parto a mulher passa por muitos desafios que na maioria das vezes são "romantizados" e tratados como "ossos do ofício" de ser mãe.
Ah! Tudo bem, essa fase já passou e nada faz valer mais a pena do que o sorriso do seu filho, não é verdade? Talvez, uma "meia verdade", mas não é a história completa. É certo que o amor materno supera qualquer coisa e faz valer tudo valer a pena, porém, falar que as pelejas de ser mãe terminam por ai é uma grande mentira. 

A verdade é que muito da cultura que temos hoje vem do passado, um passado nada favorável para as mulheres. Estou falando de uma época onde mulheres eram vistas a mercê da sociedade, sem direitos e com muitos deveres.
A criação dos filhos por exemplo era de total responsabilidade das mães, do começo ao fim, além disso o dever de servir ao marido e manter a casa arrumada também. Quer você queira concordar ou não, é fato que desde que o mundo é mundo nós vivemos em sociedades machistas, umas mais e outras menos, mas sim todas machistas. 

Com decorrer dos anos as mulheres tem conquistado cada vez mais espaço e direitos, não da pra comparar a mulher do passado com a mulher de hoje em dia, ainda existe sim muito sexíssimo, mas o cenário tem mudado e hoje vemos mulheres ocupando espaços que antes só eram ocupados por homens principalmente no âmbito profissional. Muito desse emponderamento deve-se a internet onde mais do que em qualquer outro canal de informação a mulher tem VOZ!

Ok, apesar dessa longa introdução, esse não é o objetivo do artigo, estou apenas te contextualizando para que consiga entender oque realmente quero te passar. 


Apesar de todas essa mudanças em prol da mulher que podemos ver acontecendo na sociedade como um todo, muito pouco mudou ao longo do tempo no âmbito familiar. 
Na grande maioria dos lares brasileiros a mulher ainda é vista como a única responsável criação dos filhos e é sobre isso que vamos tratar hoje. 

É muito raro vermos cenas ou relatos de pais trocando fraudas, dando banho em seus filhos, acordando várias vezes no meio da noite para suprir as necessidades do bebê e fazê-lo dormir novamente dentre outras tantas atribuições que a criação de um filho exige. 

Esse é sem dúvidas um tabu que precisa ser quebrado! Aprendemos por muito tempo que o pai é o responsável por trazer dinheiro para casa enquanto a mãe por todo o resto. Acontece que se formos analisar essa divisão, é fácil perceber que não é nada equânime ou se quer justa. 
Enquanto o pai cumpre uma carga horária na maioria das vezes com começo, pausa para descansar, e fim pré-definidos a mãe por sua vez vive dentro de casa uma jornada de trabalho sem fim e que muitas vezes não dispõe nem de pausa para almoçar.  
Tudo bem, não podemos generalizar, existe sim homens que cumprem seus papéis como pais, mas infelizmente essa não é uma maioria. 

Não é e não pode ser tudo responsabilidade da mãe! 

Imagine só a seguinte rotina e me diga se há condições de executa-la sozinha e ainda assim manter um emocional saudável e estável. Vamos fazer um pequeno comparativo com uma história meramente ilustrativa. 

> Marcos e Ana são marido e mulher e pais do pequeno Caio. 
> Marcos acorda todo dia religiosamente as 06:00 para não perder a hora do serviço que começa às 07:00.
> Ana por sua vez é acordada pelo choro de Caio mais uma vez (sem contar as outras 4 no meio da madrugada).  Aparentemente ele está com fome e Ana então, da de mamar ao seu filho, mesmo não aguentando de tanta dor nos mamilos, afinal Caio é um bebê voraz e parece sempre estar faminto.
> Marcos apesar de ter pego um transito consegue chegar as 07:00 no trabalho, ele é estoquista em um grande mercado da cidade e começa seu expediente tendo que reorganizar uma fileira de refrigerantes. 
> Ana, assim que termina de alimentar Caio, tenta fazê-lo deitar para iniciar sua jornada de organização e limpeza da casa, mas Caio não está muito afim de deitar e toda vez que é colocado no berço, abre um berreiro e começa a chorar.
Ana então, decide iniciar sua jornada segurando seu filho no colo, afinal é a única forma dele não chorar.  
Ela decide começar pelo mais leve, afinal está com um bebê no colo. Então, vai recolher as roupas que estendeu no varal no dia anterior e as joga em cima da cama para dobrar mais tarde. Feito isso já coloca mais roupa para lavar, afinal precisa aproveitar o sol.

Após recolher as roupas e colocar outras para lavar, ela tenta tomar seu café e coloca caio deitado no "cercadinho" ali na cozinha mesmo. Parece estar tudo bem, ela consegue preparar um café e passar manteiga no pão, mas quando se senta para comer, Caio decide que também quer comer e então ela precisa parar para alimenta-lo, antes de se alimentar. 

> Enquanto isso Marcos termina de organizar as prateleiras e como já são 09:00 faz uma pequena pausa para comer seu lanche que Ana havia preparado no dia anterior. Conversa com os colegas de trabalho sobre o jogo do seu time favorito que havia ganhado do rival no final de semana e volta ao trabalho. 

> Ana ainda não conseguiu tomar seu café que a essa altura já esfriou, mas vai aos poucos beliscando o pão, afinal já está com bastante fome! 
Quando finalmente consegue fazer com que Caio se acalmasse um pouco e tirasse um cochilo ela decide que irá começar a preparar o almoço, mas antes precisa lavar a louça que sobrou do dia anterior, afinal se Marcos chegar em casa e ver aquela louça certamente ira brigar com ela. 

> Enquanto isso, Marcos continua cumprindo suas obrigações no trabalho, afinal precisa levar dinheiro para casa, esse é seu papel! 
> De repente seu relógio desperta, são 12:00 em ponto, hora de almoçar. Imediatamente Marcos para tudo oque estava fazendo e segue para o refeitório onde pega sua marmita que Ana preparou no dia anterior e senta-se com seus colegas para almoçar e reclama que a comida não está tão boa quanto a que sua esposa fazia no começo do casamento. Quase que instantaneamente todos os seus colegas compartilham da mesma opinião e começam a reclamar de suas parceiras.

> Ana começa a preparar o almoço e se lembra que Marcos sempre gostou da sua lasanha então decide fazer uma e deixar "pré assada" para que eles possam comer na janta. Enquanto isso ela esquenta a comida que sobrou do dia anterior pois não queria fazer nada muito fresco para não sujar mais louça, afinal ela teria que lavar e ainda haviam muitas outras tarefas para fazer. 
Ana termina de preparar a lasanha e leva ao forno, nessa hora Caio acorda e não está de bom humor, pelo contrário, ele berra como se algo o estivesse incomodando muito. Então Ana larga a lasanha no forno e o prato de comida que havia acabado de arrumar para almoçar e vai até seu filho para descobrir oque havia acontecido. 
Ana percebe que a frauda de Caio está cheia, e como se não bastasse ainda vazou sujando toda a roupa dele e até a cobertinha que ela tinha colocado para o cobrir. Ana então precisa resolver essa situação, limpa Caio, troca sua frauda, separa as roupas sujas para lavar junto com o cobertor e pega Caio no colo para tentar terminar seu almoço, mas acontece que toda essa cena acabou lhe causando um pouco de náuseas e ela já não estava mais com fome. Então, com pena de jogar a comida fora devolve o prato intacto para geladeira. 

> Marcos por sua vez, não está muito contente, além de não gostar do seu trabalho, foi chamado na sala do seu chefe que também não vai muito com a cara para ser cobrado do erro de um outro colega de trabalho, segundo seu chefe era responsabilidade dele supervisionar o corredor 5 e não interessa que foi
o Carlos que havia arrumado. 
> Marcos volta ao trabalho, constrangido e com muita raiva, sentimento esse que ele não descontou em seu chefe, apenas engoliu calado, mas uma hora terá que sair. 

>Desesperada Ana lembra da lasanha que havia levado ao forno apenas para "pré-assar", e vai correndo para vê-la. Quando chega lá, percebe que a lasanha começou a queimar, mas ainda da pra salvar, afinal não daria tempo de fazer outra janta e logo logo Marcos chegaria em casa e ela ainda não tinha nem feito as tarefas básicas da casa. 

> Ana corre para varrer a casa e arrumar a cama, mas Caio decide que mais uma vez quer mamar e abre o berreiro. Ana então pega Caio e faz sua vontade, acontece que Ana não está produzindo muito leite hoje, afinal nem se quer se alimentou direito.
Caio faz força para conseguir "sugar" alguma coisa e isso faz com que Ana sinta uma grande dor, mas não pode parar, pois precisa alimentar seu filho e tanto Marcos quanto sua Sogra e até mesmo sua mãe já deixaram bem claro que o bebê teria que se alimentar do leite materno, uma tia chegou até a dizer que essas dores nos mamilos não passam de frescura, afinal ela alimentou 3 filhos e não teve do que reclamar. Só esqueceu de comentar das 2 babas que ajudavam ela e da dona Lúcia que limpava a casa e preparava o almoço. As lágrimas escorrem dos olhos de Ana de forma incessante e ela entra em desespero, o sentimento de impotência, angustia toma conta ao ponto dela se sentir insuficiente, imprestável e até desnecessária. A dor nos mamilos é encoberta por uma dor emocional indescritível nessa hora. Ela se lembra que a enfermeira na maternidade chegou a comentar sobre uma tal "depressão pós-parto", e por um segundo pensa que possa ser isso, entretanto lembra também de Marcos falando claramente com a enfermeira: 
– Isso é coisa de mente fraca!

> Marcos ainda está no trabalho, já está contando as horas para ir embora, afinal às 17:00 é o fim do seu expediente, e já são 16:00. 

> Ana engole o choro, coloca Caio para cochilar e volta a fazer as tarefas da casa, varrer, limpar, passar, pano, guardar as roupas que tinha deixado sobre a cama, arrumar a cama, estender as roupas que havia colocado para lavar mais cedo. 
Por mais incrível que possa parecer ela consegue fazer tudo isso! Caio acorda, mas dessa vez sem choro, ele está mais tranquilo, parece ter compreendido o estado emocional da mãe e resolver dar uma folguinha. 
Ana então decide sentar um pouco para assistir sua série favorita que desde o parto não havia conseguido assistir nem se quer 5 minutos, mas no exato momento em que aperta o play, houve barulhos de chave na porta, é Marcos chegando. 

> Marcos já estressado do dia de trabalho "cansativo" que teve, vê a cena de Ana sentada no sofá com o bebê e se quer a cumprimenta. Ele pega Caio no colo, como quem quer matar a saudade, mas nesse momento Caio volta a chorar e imediatamente Marcos devolve ele pra mãe dizendo:
– Ele quer mamar, o garoto parece estar faminto, você não alimentou ele?
Ana então levanta sem hesitar, pega Caio e tenta dar de mamar a ele, mas percebe logo que não era essa a vontade dele, parece que ele apenas estava "entediado" e queria um pouquinho de colo. 
> Marcos pega o controle da televisão, sai da série que Ana iria começar a assistir e coloca no noticiário. 
> Ana então decide arrumar a mesa para que eles possam jantar, afinal ela fez o prato favorito dele e está ansiosa para que eles tenham esse tempinho juntos. 
> Marcos por sua vez só consegue pensar na bronca que havia levado mais cedo de seu chefe. 
> Ambos sentam-se a mesa e logo Marcos começa a descarregar toda raiva que ele havia guardado. 
– Não é possível, você queimou a lasanha?
Antes mesmo que Ana pudesse dar qualquer tipo de explicação ele continua:
– Fica o dia inteiro dentro de casa e não faz nada, sua única tarefa é cuidar do Caio e da casa e ainda consegue queimar a lasanha? 
> Um silêncio estarrecedor toma conta do lugar e é possível notar lagrimas escorrendo dos olhos de Ana enquanto eles comem absolutamente calados. 
> Ao terminar de comer, Marcos se levanta, toma seu banho e vai para cama deitar, afinal amanhã é um novo dia e ele precisa acordar as 06:00 para "trazer dinheiro para casa", essa é a sua função. 

> Enquanto isso Ana termina de arrumar a louça do jantar, e já prepara a marmita de Marcos para o dia seguinte. Ela se divide em duas tendo ainda que manter Caio em silêncio, pois de forma nenhuma ele pode chorar, afinal acordaria Marcos que já teve um dia de trabalho um tanto quanto estressante. 

> Finalmente Ana consegue colocar Caio para dormir e vai tomar seu banho, para poder descansar. O ponteiro do relógio marca 00:30 quando ela consegue deitar. 

> Durante essa madrugada, ela acorda por 4 vezes com o choro de Caio enquanto Marcos parece estar em sono profundo descansando para sua jornada de trabalho do dia seguinte...

Essa história é apenas ilustrativa mas reflete a realidade de muitos, mas muitos casais Brasileiros, isso porque muitos detalhes foram ocultados para que o artigo não ficasse maior do que já está. 

A verdade é que o Pai espera muito da mãe enquanto oferece muito pouco. É fácil querer ter uma esposa bonita, bem cuidada, super arrumada, que é assídua com as tarefas do lar, uma super mãe e educadora, a melhor cozinheira, uma leoa na cama. Entretanto oque você PAI, tem oferecido em troca?


Nenhum comentário:

Postar um comentário



Topo