Transformações do Corpo Pós-Parto (Puerpério)

em 08 janeiro 2022

 


O período do pós parto ou puerpério é marcado por diversas mudanças que acontecem no corpo e organismo da mulher, evoluções e transformações, emocionais e físicas. É hora de tudo ir aos poucos voltando ao lugar, afinal todas as mudanças que foram feitas durante a gestação para comportar uma nova vida precisam ser reorganizadas. 
É comum nessa fase que as emoções passem por um enorme embaralho, são muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo, muitos sentimentos e isso pode causar alguns conflitos, mas não precisa se desesperar, é apenas seu cérebro colocando cada coisa em seu devido lugar. 
Além das mudanças na mente da mais nova mamãe as mudanças mais visíveis acontecem no corpo e é sobre essas mudanças que vamos conversar hoje! 
Algumas dessas mudanças são muito pouco faladas e por isso não são tão associadas ao puerpério e por isso a primeiro momento podem causar um profundo medo, ansiedade e até mesmo depressão. 
A verdade é que há muito pouco conteúdo a respeito do assunto e a maioria das mães não faz a menor ideia do que está acontecendo. 
Para tornar essa fase mais fácil, agradável e principalmente esclarecer e quebrar alguns tabus, vamos listar algumas das principais mudanças que ocorrem neste período e outras que não são tão comuns, mas que são frutos do pós-parto.

1) Cabelos.



É comum durante a gestação a sensação de estar com os cabelos mais "saudáveis".
Isso acontece porque ocorre o aumento do hormônio estrógeno durante esta fase, isso faz com que os cabelos tenham mais brilho, fiquem mais sedosos e ganhem até mais volume, entretanto, após o parto pode mudar. 

Após a saída do bebê de dentro do "forninho" a mulher sofre uma repentina baixa hormonal e isso pode levar a que de cabelos em maior intensidade do que o normal. Esse problema pode se intensificar caso a recém mamãe tenha sofrido muito estresse durante o parto ou nas primeiras horas após ele ou até mesmo pela baixa de ferro no sangue que normalmente ocorre por conta da perda de sangue durante o parto. 

A duração deste "efeito", pode variar muito de mulher para mulher, entretanto geralmente é sanado conforme o organismo vai restaurando seu equilíbrio, porém em casos onde a queda capilar se prolonga por mais de 5 meses é aconselhável procurar um médico. 

2) Flacidez.

Talvez essa seja uma das mudanças mais frequentes e que mais aterrorizam as mamães durante o puerpério. É comum que o bumbum, barriga e seios já não estejam tão firmes como antes, afinal, durante a gestação o corpo inteiro se adapta para o grande momento do parto, a barriga aumenta para comportar o bebê, os músculos se tornam menos firmes para possibilitar que os ossos se ajustem para o parto e os seios aumentam de volume. 

Não precisa se desesperar essas mudanças não devem jamais ser motivo de vergonha e tão pouco causar baixa auto estima na mamãe, muito pelo contrário, são marcas do milagre da vida, o dom de trazer um bebê ao mundo e devem ser motivo de orgulho. Entretanto, caso deseje, existem várias formas de amenizar esse efeito, uma das mais comuns e eficazes é a prática de exercícios físicos durante a gestação, mas também existem cremes e até mesmo procedimentos estéticos e cirúrgicos.


3) Boca.


Assim como já falamos no post "Sintomas de Gravidez que Ninguém te Conta", as alterações na boca podem indicar uma possível gravidez. Isso ocorre, porque durante a gestação o aumento dos hormônios progesterona e estrógeno somados a baixa da imunidade (que também é um sintoma de gravidez), contribuem para o aumento de bactérias na boca oque dentre muitas coisas pode causar o inchaço das gengivas, sangramentos e dores de dente. Durante o pós parto este é um sintoma que permanece ainda por um tempo até que o organismo se equilibre novamente. Por isso é muito importante que a higiene bucal seja intensificada.

4) Incontinência Urinaria.



A incontinência urinaria consiste na liberação involuntária da urina pela uretra. Isso ocorre devido a alterações no pavimento pélvico, que é responsável por sustentar e controlar os esfíncteres (músculos que controlam a abertura e fechamento de orifícios). É mais comum em casos onde o parto foi normal, porém também ocorre em mamães que passaram por cesariana. 
Uma ótima maneira de voltar a controlar a urina é através dos exercícios de Kegel (clique para saber mais sobre)

5) Seios.


Não é só durante a gestação que os seios tendem a crescer. No período de pós-parto principalmente nos primeiros dias, você irá notar um crescimento significativo e poderá começar a sentir que ficaram mais doloridos, tudo isso é reflexo da amamentação e da adaptação que o bebê terá com a "vida nova", afinal ele passou nove meses se alimentando de uma forma completamente diferente. 
Precisamos falar sobre isso, é importante tratar esse tema com bastante equilíbrio sem tratar a amamentação como algo assombroso, mas principalmente sem romantizar. A verdade é que tudo é novidade tanto para mãe, quanto para o bebê, ambos estão em um processo de se conhecer, nesta fase é comum que a mãe possa produzir menos leite do que o bebe necessita e o recém nascido por sua vez terá que exercer mais força ao mamar para encontrar o alimento que precisa, isso, pode ser um pouco desconfortável ou até doloroso.

É também super normal que os mamilos ressequem e comecem a rachar, apesar de não ser nada bom, é muito importante que a mãe compreenda essa relação e entenda que nada esta fugindo da normalidade, do contrário, poderá sofrer com baixa autoestima e até iniciar um processo depressivo por não se sentir capaz de produzir a quantidade suficiente de leite materno para o bebê. 
É tudo um processo de adaptação e não é só a mãe que se adapta as necessidades do bebê, mas o oposto também ocorre, onde o recém chegado tem de se adaptar a nova forma de se alimentar.

6) Veias, artérias e circulação sanguínea.

Durante a gestação a quantidade de sangue circulando pelo corpo aumenta significativamente, e por conta disso o "calibre" ou largura das veias e artérias costumam aumentar, ao ponto de se tornarem mais visíveis. Essa mudança a primeiro momento pode assustar e parecer que são varizes, mas após o parto elas tendem a voltar ao normal. 
Entretanto é necessário ter muita atenção, pois de fato a incidência de varizes aumenta após o parto, principalmente para mamães que tem histórico familiar do problema. 
Não se assuste caso note varizes próximas ao ânus e até mesmo na vulva, esse é um sintoma comum que ocorre por conta da pressão exercida pelo útero, essas, costumam desaparecer durante o puerpério, se isso não acontecer, procure um médico.

7) Menstruação. 


Uma dúvida muito comum das mamães recentes é "Quando volto a menstruar?" e essa é uma pergunta que não tem uma resposta exata, pois pode variar muito de mulher para mulher e um dos fatores que mais afeta esse retorno é a amamentação. Para mulheres que amamentam o período menstrual deve voltar em aproximadamente 6 meses, já para mães que não amamentam leva cerca de 1 a 2 meses. 
Ainda assim é muito importante que a mulher procure métodos contraceptivos para que não venha a engravidar novamente neste período.

8) Pele.

Durante a gestação a pele tende a se tornar mais hidratada e elástica isso por conta do aumento do hormônio estrógeno, porém após o parto a diminuição desse hormônio pode dar a sensação de pele ressecada, uma maneira fácil de controlar isso é através do uso de cremes hidratantes, entretanto é necessário se atentar ao rótulo e optar por cremes que não tenha um aroma tão forte para não causar alergias ao bebê. 

Além da hidratação externa com cremes é muito importante cuidar da interna, bebendo bastante água, principalmente no puerpério pois a perda de liquido é muito maior nesta fase.







Nenhum comentário:

Postar um comentário



Topo