Qual a Importância dos Exames de Rotina e Quais Profissionais Devo Consultar na Minha Gestação?

em 27 abril 2022

 


Fato é que ao saber sobre a gravidez devemos recorrer imediatamente ao acompanhamento médico que nos garantirá plenos cuidados a todo o período gestacional...

Mas, qual é mesmo o profissional que devo consultar?...

 

RECONHEÇA SUAS NECESSIDADES

Dentre os muitos profissionais convenientes a serem consultados de forma rotineira no momento da gestação - como hematologistas para a consulta frequente da qualidade do sangue (que é diretamente ligada à qualidade nutritiva do feto), endocrinologistas para o bom nivelamento hormonal (garantia de uma gestação equilibrada), nutricionistas para uma melhor alimentação (que garante a boa saúde fetal), cabe citar a principal especialidade dentre tantas outras importantes a esse momento, que será a ponte para sanar toda necessidade do período gestacional: a Ginecologia Obstétrica.

Basicamente, a Obstetrícia servirá aos seguintes procedimentos:

  • Papanicolau para prevenção de IST;
  • Exame pélvico para análise externa;
  • Esclarecimento à saúde feminina em geral;
  • Orientação sobre prevenção de doenças e contracepção;
  • Exame de mama para garantia da ausência de anormalidade;
  • Investigação sobre histórico familiar, estilo de vida e padrão menstrual.
  • Exames laboratoriais hematológicos, radiológicos e EAS para verificar níveis hormonais, aspectos dos órgãos internos e identificação de possíveis infecções;

 

 

ACOMPANHAMENTO PRECOCE

 

Ainda sobre o acompanhamento geral vindo desde antes da gestação, para o caso daquelas futuras mamães que preferem se precaver optando pelo acompanhamento precoce, é interessante saber dos seguintes atendimentos à gestante por parte do ginecologista obstetra:

- Planejamento – monitoria da saúde e orientação dos cuidados com a suplementação necessária ao bom desenvolvimento do bebê.

 

- Orientações, preparo e avaliação dos riscos das seguintes suscetibilidades gestacionais:

 

·         Sangramento – sendo a sua maior ameaça o aborto;

·         Inchaço – risco de pré-eclâmpsia; causa de pressão alta, perda de proteínas, inchaço, morte materna e fetal;

·         Febre e dor – indicação de possíveis infecções;

·         Vômitos – se constantes, tendem ao uso de medicação e, em casos mais graves, internação;

·         Dores pélvicas – se fortes, abrem indicação ao trabalho de parto, ocorrida ou não a ruptura da bolsa d’água;

·         Perda de líquido vaginal – urgência diante da indicação do rompimento da bolsa amniótica.

 

PASSE A INFORMAÇÃO À FRENTE!

Mais de 6 milhões de brasileiras não frequentam consultas ginecológicas de rotina. Mais de 4 milhões nunca foram e mais de 16 milhões não se consultam há mais de 1 ano.

20% das jovens com mais de 16 anos correm riscos ginecológicos por falta de informação.

Por isso, mantenha-se inteirada e atenta à cada detalhe da sua gestação, buscando aprender cada vez mais sobre seu corpo e sobre suas necessidades. Abrace a informação e se permita estar em plena harmonia consigo mesma!

O conhecimento é o bem mais valioso que uma mãe pode transmitir ao filho!


Nenhum comentário:

Postar um comentário



Topo